Buscar
  • Conselho Minerva

Carta aberta ao Ministro professor Paulo Guedes


Excelentíssimo Senhor

Ministro de Estado da Economia

Professor Paulo Guedes

Com muita tristeza leio, mais uma vez, afirmações não comprovadas de um Ministro de Estado, do Governo empoderado pelo meu voto, contra a Universidade Pública.

Na qualidade de idealizador, fundador e principal responsável do Conselho de Minerva, organização que tem extenso patrimônio na reunião de antigos alunos da Universidade do Brasil, atual UFRJ, venho lamentar sua declaração: "As universidades estão em estado caótico. Todo mundo ...maconha, bebida, droga" (O Estado de São Paulo, 30 de abril, pag. A13).

Sim, a Universidade pública tem desvios. Quem não os tem? Aprendi na Escola Superior de Guerra, com lúcidos companheiros do curso de Altos Estudos de Política e Estratégia, que em toda sociedade há óbices. Mas estes estão presentes em todos os segmentos do estamento republicano.

Há maconha, bebidas, drogas na UFRJ? Talvez sim. Mas com certeza é pontual, na mesma proporção verificada em nossa sociedade do qual a universidade é apenas um substrato.

A Universidade pública tem muitos óbices além das drogas como Vossa Excelência e alguns outros Ministros querem induzir. Um deles é a falta de gestão do atual governo, no qual, repito, concorri com meu voto. Vou dar somente um exemplo na qualidade de representante dos Antigos Alunos no Conselho de Curadores da UFRJ.

Sabe Vossa Excelência que, desde a criação da Universidade do Brasil, o ilustre Ministro de Getúlio Vargas, Gustavo Capanema, introduziu um representante do Ministério da Educação no Conselho de Curadores.

Pergunto: Onde está o representante do atual governo no Conselho de Curadores da UFRJ?

Dois anos se passaram e o Ministério da Educação se faz omisso no órgão que tem por principal obrigação arguir a gestão do patrimônio público universitário.

Coloco-me junto com meus companheiros do Conselho de Minerva a vosso dispor, para isenta e independentemente apresentar o que é a UFRJ, seus óbices e acima de tudo suas potencialidades.

Reunidos com aqueles que cursaram, como Vossa Excelência afirma, escola pública, poderemos chegar a um consenso pelo bem comum na educação superior pública, desiderato de nosso povo e mister de um gestor público responsável.

Com a expressão da mais alta consideração.

Rio de Janeiro, 30 de abril de 2021.

Sebastião Amoêdo de Barros

Professor da UFRJ, inativo

Membro Conselho de Curadores

Condecorações: Medalhas do Pacificador, Mérito Militar, Tiradentes, Avante Bombeiro, Resistência Cidadã.



4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo